18 outubro 2005

Essen

Tem sido um pouco difícil o pessoal juntar-se para fazer uma jogatana com os jogos que encomendámos o mês passado.
Struggle of Empires, Die Marcher e também o tão afamado Hannibal terão de ficar à espera de tempos mais libertos. Temos tido alguma dificuldade em arranjar um espaço onde se jogue em condições e quando temos o espaço faltam-nos os jogadores. A vida dum gamer é dura.
Por isso, decidi dedicar um post à última edição do Essen, um dos mais importantes certames de Jogos de Tabuleiro a ter lugar no mundo.
Sempre que tal acontecimento se desvenda, é sempre muita a curiosidade em saber as opiniões dos que lá estiveram. Portanto, é mais ou menos natural a quantidade de julgamentos que começaram a proliferar na internet depois do último dia.
Eu não fugi à regra e lá andei a investigar quais os jogos que melhor foram aceites pelos visitantes do certame. Aqui fica uma minúscula lista:

Caylus
Parece ser consensual entre todos os visitantes que é um dos vencedores da semana. Apesar das regras serem bastante pesadas e difíceis de entender numa primeira fase, Caylus só se consegue aprender no terreno de jogo, ou seja, no tabuleiro. Deste modo, os jogadores só se apercebem do que devem fazer na 2ª ou 3ª sessão. Este aspecto pode ser frustrante para alguns, principalmente para quem joga pouco e que, cada vez que o faz, está sempre a mudar de jogo, como é o meu caso. Acho que nunca joguei, tirando o Catan e o Wallenstein devido à internet, nenhum jogo duas vezes seguidas.
Quanto a Caylus, a ideia que parece estar por detrás é a dos jogadores vestirem a pelo de arquitectos e ganharem prestígio ao construírem um castelo para o rei. A partir dessa altura ganham-se recursos para o desenvolvimento da vila de Caylus que circunda e sustenta o dito castelo. Cabe ao jogador gerir os trabalhadores que para ele trabalham e a vida económica da vila.
O grande interesse está na mecânica do jogo permitir o aperfeiçoamento de muitas estratégias diferentes para se vencer uma partida. Cada partida ronda os 60 minutos.





Parthenon – Rise of the Aegean
Outro dos grandes vencedores. Jogo desenvolvido para seis jogadores, cabendo a cada um deles representar um dos seis territórios presentes (Roma, Atenas, Egipto, Cartago, Esparta e Jónia).
O objectivo é conseguir os planos de construção das maravilhas do mundo. Para esse efeito, os jogadores terão de navegar pelo mar Egeu e passar pelos territórios dos outros jogadores, comercializando o que tiverem para comercializar enquanto desenvolvem internamente a sua marinha e também politicamente seu próprio território.
Não é um jogo bélico, apesar de os jogadores estarem sempre em disputa por alguma coisa. Existe confronto sim, mas em termos comerciais e não militares. O jogo é aguardado com muita expectativa uma vez que parece ter conseguido ganhar a curiosidade e simpatia de todos os tipos de gamers.





Shear Panic
Uma das grandes surpresas. Quase toda a gente fala deste jogo que tem tanto de imaginativo como de louco. O objectivo centra-se em controlar um rebanho de ovelhas sempre imprevisível num determinado número de jogadas. Grandes doses de gargalhadas, matemática e pensamento abstracto.
Mas o grande trunfo de Shear Panic são mesmo as peças do jogo. Curtam lá bem estas ovelhas....não dá vontade de as levar para casa?





Euphrat & Tigris – Card Game
Passagem para um card game do fabuloso jogo de tabuleiro do sempre prolifero Reiner Knizia que este blog já analisou. Tem como fundo as dinastias e os reinos que se desenvolveram ao longo destes dois rios. Oferece, como card game, uma mecânica mais simples e uma maior rapidez. As cartas são coloridas e o design cuidado, o que muito vai agradar aos fãs de Knizia e não só.





Indonésia
Aguardado como uma obra prima, Indonésia centra a sua acção nas ilhas indonésias do Índico. É um jogo de comércio e de relações comerciais. A especulação surge em quantidades abismais e cabe a cada jogador fazer chegar mercadorias às cidades espalhadas pelos arquipélagos. Quanto maior forem as cidades que o jogador controla maiores são as necessidades das mesmas necessitando duma maior quantidade de mercadorias. Quem não as tem só lhe resta comprar ao adversário.
O desenvolvimento da agricultura, da indústria e das suas companhias marítimas são também deveres do jogador. O jogo decide-se no sentido de oportunidade. Os preços vão sofrendo variações ao longo da partida e a astúcia na compra e venda é decisiva para o resultado final.
Apesar das regras serem bastante fáceis de aprender, é preciso pensar em muitas coisas ao mesmo tempo. Qualquer opção dum determinado jogador influência fortemente a táctica dos outros. Jogo com a duração monstruosa de 4 horas.



6 comentários:

J.P. disse...

Hugo, ainda bem que descobri o teu blogue antes das compras de natal.
Parabéns é dos melhores blogues que conheço.
Eu à tua beira sou um amador emjogos de tabuleiro, mas é uma das minhas maiores paixões e vou aprender muito comtigo.


PS: Não me sabes dizer onde posso comprar o jogo Tigres e Eufrates ?

Hugo disse...

Na verdade tenho mais garganta que experiência. Não jogo muito, mas o pessoal que joga comigo tem a escola toda e as conversas vão sempre ter a este tema. Por isso vou conhecendo os jogos, os designers etc.
Bem quanto a lojas onde podes comprar os preciosos...se quiseres comprar em Portugal, aviso-te que a coisa sai cara, mas seja como for se morares em Lisboa experimenta http://www.netsurf.pt/ têm muita coisa à venda. Os preços são caros quando comparados com outras lojas virtuais, mas podes sempre poupar o dinheiro das taxas indo ao armazém em oeiras. Por outro lado, tens a www.Devir.pt e uma loja no CC Comlombo que tem muita coisa também, mas com preços absurdos.
Se não quiseres gastar dinheiro no jogo, podes sempre jogá-lo de graça via email no www.boardgamegeek.com

J.P. disse...

Obrigado.
E pela internet, não conheces nenhum site onde possa comprar?

zorg disse...

Para mandar vir da alemanha, eu costumo usar:

http://www.playme.de
http://www.spiele-offensive.de

A playme tem um flatrate de shipping de 13 euros (até um determinado peso, que não me lembro quanto é, mas é alto), pelo que compensa bastante mandar vir vários jogos na mesma encomenda. Se fizeres isso, normalmente consegues melhores preços que a netsurf.

Podes também mandar vir dos EUA. Os preços normalmente são bons, mas o shipping é mais caro e arriscas-te a ter de pagar tarifas de alfândega. As lojas mais conhecidas aí são:

http://www.funagain.com
http://www.thoughthammer.com
http://www.boardsandbits.com

Ah, e o Hugo não joga muito, porque se balda consistentemente às sessões de jogo. :P

J.P. disse...

Obrigado Zorg, e desculpa só te ter respondido agora, mas finalmente tive tempo para passear à vontade pelos meus blogues favoritos.
é pena vocês não serem de Braga para fazermos uns campeonatos. Nós estamos viciados no Catan já há tres anos.
Um abraço.

Hugo disse...

O Catan é sempre o Catan.
Ainda não tive oportunidade de jogar ao Cities and Knights. Mas gosto muito do Catan. Jogo muito é por internet, mas não é a mesma coisa. Nada consegue igualar o prazer de ter um tabuleiro à frente.