24 julho 2007

Cartoon: o Humor de Scott Alden

Estive a fazer uma pesquisa no BoardGameGeek para saber quais os jogos que estão para sair, quando me deparo com a radiante notícia que finalmente vai sair uma 3ª Edição de um dos melhores jogos de tabuleiro de sempre: O fabuloso Age of Steam do não menos fabuloso Martin Wallace. A Editora será a Mayfair Games.
Mas o contentamento que tive ao saber da notícia transformou-se, infelizmente, numa raiva imensa. Aparentemente, e fazendo fé na notícia, o jogo foi transformado de alto a baixo. As regras foram alteradas e assim, a olho nu, posso afiançar ainda sem certeza, que o designer e a editora conseguiram transformar uma obra-prima numa verdadeira trampa.
Ora, os aspectos mais interessantes foram abolidos. Os compradores da 3ª Edição vão ficar sem o leilão (agora o ultimo jogador nos pontos é o primeiro a jogar). Depois qualquer jogador pode a qualquer momento baixar um ponto na pontuação e ganhar com a acção 5 dolares (acabando assim o planeamento financeiro ao milímetro que o jogo requeria) e, como se não fosse pouco, o city growth acabou. Puf! Foi-se.
Com estas mudanças todas, mais vale jogar Railroad Tycoon.

À margem destes problemas estão as expansões para o Age of Steam que vão invadindo o mercado. As oficiais e as caseiras.
Assim, o jogador mais viciado em Age Of Steam terá as seguintes à disposição ainda este ano:
Barbados/St. Lúcia; Jamaica/Puerto Rico; México/Península Ibérica; Mississippi Steamboats/Golden Spike; Netherlands; Áustria/Índia e América/Europe.

Mas de entre todas, a que mais polémica tem tido é a imaginativa War in Iraq & New York Subway.
Na guerra do Iraque o objectivo é transportar o petróleo iraquiano para a América e Europa.
Esta nova expansão deu o mote para um cartoon de Scott Alden que reflecte com bastante humor o que vai dentro da caixa.

5 comentários:

Anónimo disse...

Acabar com o leilão não achei ruim... Já tem jogos demais com leilões... As outras é que ainda não se pode avaliar o resultado.

soledade disse...

Eu gosto muito do Age of Steam tal e qual ele é. Acho até que há poucos jogos tão difíceis e trabalhados quanto este. Melhorava o aspecto, sobretudo ao nível dos materiais, nomeadamente dos tabuleiros de jogo, e não do desenho. Porque iniciar uma companhia de comboios é coisa feia, pouco apelativa, máscula, ou seja, precisa de um desenho assim, algo discreto. Tornava-o um jogo com melhores componentes. Mas aí, quando soube que a editora iria ser a Mayfair, não fiquei muito entusiasmado. Já estou habituado à falta de qualidade desta editora, nomeadamente, com o Modern Art.

Quanto aos mapas, e depois de ter visto, ao longe, uma imagem do mapa de Portugal, fiquei muito receoso com a idoneidade. Dá ideia que é mais é vender cartão em tiras porque o critério é muito suspeito.

Claro que, no fundo no fundo, estou-me a borrifar se o mapa da Holanda é bem feito ou não (não sou holandês). Desde que o mapa resulte...

Bruno Valério disse...

Concordo em pleno. Tornar o Age of Steam mais fácil é fazer um Railroad Tycoon 2.

Como tal e como já tenho o Age of Steam... resta-me olhar para outro lado em busca de outras coisas mais apetitosas.

newrev disse...

Apesar das regras serem parecidas, o tycoon e o AoS são jogos bastante difentes que se jogam com estratégias também diferentes.
Um é mais difícil e um gamers game o outro mais fácil, mais divertido e descontraido. Gosto de jogar os dois e acho ambos muito bons.
Fazer um jogo que se encontra no meio dos dois, não me parece uma coisa muito boa a não ser para se fazer dinheiro.
Estou convosco, equipa que vence não se mexe.

Ainda tenho esperança que o Aos seja novamente impresso.

O meu reino pelo original...

hmocc disse...

Só uma achega de precisão: Os Cartoons são de Brian Barling e não de Scott Alden (webmaster do site www.boardgamegeek.com)