12 setembro 2007

Session Report: Formula Dé

Finalmente a reentré para mais uma época de fortes jogatanas e a estreia fez-se da melhor forma.
Tinha prometido a mim mesmo e a todos os que me quisessem ouvir, que só compraria um novo jogo quando tivesse jogado as minhas cópias de Formula Dé e Shogun. Estes títulos apodreciam na estante sem razão aparente e, portanto, era urgente jogá-los na minha mesa, com o meu vinho e com a minha gente. Essa mania de comprar jogos para acumular cartão acabou para os meus lados. Tal como um grande presidente dum clube de futebol, também eu terei de ter cuidado nas compras que efectuarei no futuro e terei sempre de estudar bem o tipo de jogo e que objectivo concreto este pretende preencher. Esta vai ser uma política a seguir para os próximos tempos, a não ser que a Euribor desça duma forma sustentada e permita novamente a compra alarve de títulos. Mas por enquanto, a ideia é comprar jogos para serem jogados muitas vezes. Por exemplo, não me vale de nada ter um Perikles na colecção se não o consigo jogar.
Face a todas as condicionantes normais que são reservadas à vida dum jogador se, por mero acaso do destino, algum jogador recente chegasse ao pé de mim e me pedisse um conselho sincero e cheio de sabedoria sobre o hobby, eu diria com ar sereno e natural que:
“Não te esqueças duma coisa, aconteça o que acontecer no mercado, e vão acontecer certamente muitas coisas, compra sempre jogos a pensar nos outros e nunca a pensar em ti.”
…e com estas palavras me afastava no horizonte numa marcha lenta e saudável enquanto o novato ficava estático a observar-me e a pensar seriamente nas palavras proferidas enquanto anuía com a cabeça.
Depois, lembraria-me da lei seca do Zorg e voltava-me de repente para trás, fazia novamente a custo a caminhada de regresso até ao novato e, quando chegasse perto dele, continuava humildemente:
“…e sempre que jogares joga com uma garrafa de bom vinho aberta.”


Acabei, pois, após retirar a aranha e as filhotas da caixa, por jogar um Formula Dé que lá teve, finalmente, a possibilidade de ser testado e jogado num ambiente descontraído. Paralelamente a esta estreia, também se estreou nas lides o grande Violão, a contratação mais sonante para a nova época que se avizinha. Violão é um grande amigo de infância e um adepto incondicional de Formula 1 e lembro-me bem das nossas conversas sobre o tema nos finais dos anos 80 e nas disputas heróicas entre o Prost (de quem eu era adepto) e o Piquet (de quem ele era ferrenho). Por isso em honra dele, nada mais natural que uma corrida para o apresentar convenientemente ao hobby.
E assim foi. E digo já que deve ter sido uma das melhores corridas que a história da Formula Dé conseguiu produzir. Até uma dúzia de jogadas do fim estavam 3 jogadores a lutar pela vitória e separados por um espaço. A luta até então imprópria para cardíacos, foi alterada a 2 curvas da linha de meta quando o meu carro não conseguiu acompanhar a velocidade dos outros 2 concorrentes e ficou para trás. Por isso a vitória final ficou confinada a 2 elementos (Violão e Luís) e o vencedor (Luís) ganhou por um espaço. Incrível, melhor era quase impossível.
O Paulo ainda conseguiu chegar ao pódio em virtude do meu carro perder muita velocidade na ponta final da corrida e a Sara ficou em último acabando mesmo por sair de pista num despiste que diria, foi dos mais violentos que vi até hoje.
Os segundos carros chegaram já todos partidos e acabei eu por levantar o troféu por equipas (4º e 5º lugares).
Toda a gente pareceu contente com o jogo e este fluiu bem, muito embora o tempo despendido fosse demasiado (3 horas para apenas 2 voltas). Claro que não é um título que se deseje jogar todas as semanas, mas sem dúvida que é um jogo que terá muitas oportunidades para ser jogado ao longo da minha vida. Nem que seja uma vez por ano. Confirma-se que é um jogo divertido, não muito apelativo aos instintos femininos (a Sara não morreu de amores) e que é perfeito para desintoxicar dos pesos pesados. É, também, muito natural que se volte a falar do mítico jogo Formula 1 para Zx Spectrum 48K.
Seja como for, a boa notícia é que cada vez mais, o grupo vai crescendo. E só de pensar que, há cerca dum ano, era quase impossível arranjar malta para jogar um Ticket to Ride… Agora começo a ter a necessidade de pensar em comprar jogos para 6 e 7. Sugestões?

19 comentários:

Rui "+surf" Conde disse...

Com 7 jogadores e com alguma disciplina, tens um gde jogo, Diplomacy. É um dos meus jogos preferidos, não o jogo mtas vezes, alias, so jogo mto raramente, optando por jogar c mais assiduidade pela net, por mail, onde o jogo tb é fantastico... Muito ja se escreveu sobre este jogo q é verdadeiramente apaixonante e diferente de quase tudo o q se conhece.

violao disse...

Uma tarde bem passada que espero voltar a repetir...

Um abraço

soledade disse...

Para grupos descontraídos e grandes podes tentar o Alhambra.

Eu só acho que o Fórmula Dé demora demasiado tempo! Apesar de resultar num jogo divertido, a partir de uma certa altura eu perco um bocado a paciência e, é inevitável, destruo os meus carros todos!

Hugo disse...

Rui conde
Quanto ao Diplomacy, é tentador de facto, mas é impossível jogá-lo em condições. Estamos limitados a quatro horas e a hipotese se fazer uma sessão de diplomacy em tão pouco tempo parece-me impossível.
Além disso já se ouviram tantas histórias do Diplomacy que tenho medo que a coisa dê para o torto e acabarmos por nos chatear todos uns com os outros. Depois tinha de começar a construir um novo grupo e isso era uma chatice.

Violão
O que custa é o primeiro jogo. Convites já sabes que não vão faltar.

Soledade
Tinha lido e ouvido que joga-se melhor ao alhambra a 3 e 4, por isso nunca coloquei a hipotese. Mas já q falaste nela, vou voltar a pensar no assunto.
O Formula Dê tem o problema de ser muito longo. Isso pode aborrecer. Por outro lado o Formula Dé Mini não é muito interessante porque depende exclusivamente da sorte, uma vez que a margem de erro é tão grande quando comparada com o original, que não há decisões a tomar. Mas joga-se em 40 minutos.
Tenho de tentar jogar formula de mini com as regras do Formula Dé.

vch disse...

Para 6 jogadores recomendo-te o Atlantic Star: demora uma hora e pouco, regras pouco complicadas, decisões dificeis, pouco downtime, preço baixo (13 euros) e divertido.

Quanto ao Alhambra, a 6 jogadores tem demasiado downtime para o meu gosto.

newrev disse...

Oi Hugo, nunca joguei formula dé, mas para um jogo divertido e com seis pessoas, julgo que o Robot Rally é uma boa escolha. Mas definitivamente o meu jogo preferido a seis é o Tycoon. 2 a 3 horas de jogo com regras relativamente simpes, já iniciei vários jogadores com este jogo e o resultado foi sempre positivo. Se começares a querer complicar o estrondoso Struggle of empires. :)

newrev disse...

P.S.
Um tipo de jogo diferente pela vertente cooperativa, com um traidor à mistura e bastante fácil de jogar para 6 ou 7 jogadores. Shadows Over Camelot. 3 a 7 jogadores. 90 minutos.
:)

Shiva Skunk disse...

Olá Hugo, bem vindo de volta! Quanto a mim Alhambra a 6 torna-se um jogo demasiado rápido e podes encará-lo quase como um filler se for essa a tua ideia. Joga-se bem a 3 ou 4 pessoas no máximo. Talvez exista alguma expansão que dê mais profundidade ao jogo ... não sei :(

O Vital já referiu e bem o monstro Struggle of Empires que esta semana experimentámos na sessão dos OHG (Oeiras Heavy Gamer's :)) se quiseres posso-te emprestar para testares antes de pensares em comprar. Com jogadores já rodados acredito que não demore mais do que o Formula De. O nosso demorou 4 horitas :) mas com muito AP fruto das constantes trocas de alianças.

Outro jogo que gosto muito e que também deve ser muito divertido a 6 é o Power Grid bem mais leve que o Struggle of Empires.

Abraço
Duarte

PS: Qualquer dia já sou teu vizinho ... vou para Carcavelos morar!

Bruno Valério disse...

Amigo Hugo eu diria que não te adianta nada ter um Perikles... ponto final :D é que não perdes mesmo nada.

Quanto ao Formula Dê creio que o grande handicap é mesmo a duração. Não caias no canto do Newrev, o Roborally é giro nos primeiros dois minutos, depois disso apercebes-te que não tens qualquer controlo sobre o que se passa no tabuleiro e isso para mim não é um jogo. Para isso jogo à roleta :D

Anyway temos de combinar uma joga em breve... nós já temos um grupinho certo aqui em Oeiras mas temos sempre vagas abertas D:

Shiva Skunk disse...

Perikles rulez :)

Hugo disse...

Quando ao Struggle já o tenho. Foi o primeiro jogo que comprei. Ainda bem que finalmente alguém aparece que gosta do jogo e que vê o brilhantismo do mesmo. Estrondoso, como diz o newrev é mesmo a palavra adequada. O unico problema é que só machos é que conseguem jogar aquilo com entusiasmo.

O Power Grid vou experimentar proximamente e logo vejo.
Agora a ideia do Shadows Over Camelot parece-me mesmo boa. Tinha-me esquecido dessa opção.

Bruno Valério disse...

O Shadows só tem uma coisa que torna o jogo engraçado: o traidor.

De resto é tipo bora lá terminar esta quest. Joga carta jogo carta joga carta jogo carta.... pronto feito.

Muito bonito como todos da DOW mas com muito pouco conteudo.

newrev disse...

Ui. Ò Hugo, não teres experimentado o power grid é uma enorme falha.
Vem jogar connosco na sexta à noite e certamente ninguém se vai importar de coloca-lo na mesa. A seguir ao liberté, tá claro. :)

2 dedos disse...

esse power grid parece MUITO interessante.
é dos jogos q mais gostaria de experimentar.

zorg disse...

Pois, o problema do fórmula dé é mesmo o tempo que demora a jogar. O sistema dos dados é giro e tem potencial, mas o jogo devia ter sido mais trabalhado, para não demorar tanto tempo.

Em relação ao powergrid, eu já experimentei várias vezes e não acho grande piada. É um jogo que convida ao cálculo intensivo, em todas as jogadas. E isto, porque é fácil fazer estimativas relativamente precisas do valor das coisas e depois planear toda a jogada ao cêntimo, do início ao fim, para a maximizar. E quem não o fizer, não tem hipótese de ganhar se jogar contra quem o fizer. Isto faz com que o jogo demore imenso tempo e se transforme numa infindável sucessão de somas e subtracções... uma espécie de exercício de contabilidade.

No mesmo género, prefiro 1000 vezes o Age of Steam, por exemplo, que é um jogo também económico, mas onde é muito mais necessário jogar com os outros jogadores e menos com os números.

Mas isto sou eu. :)

Rui "+surf" Conde disse...

Tenho o Power Grid, é um dos meus jogos preferidos, mas, n acredito nele a 6, nunca tentei, mas, n me atrai a ideia... Acho q o mapa, ficará demeasiado cheio, pelo q, a sorte do posicionamento, deverá ter mta influencia, isto é, ao invés de procurar o melhor sitio para começar a minha rede, preferia ir para um sitio pior mas mais isolado de forma a minimisar os confrontos... Quanto ao Diplomacy, com disciplina, da para jogar em 4h, se o grupo é rebelde n da, a questão de criar inimigos, n acredites nisso, é um jogo. Uma vez jogava e a minha namorada comete uma traição brutal na ultima ronda do jogo, eu q n a tinha por parva, achei q ela tudo faria para eu n ganhar, perdi aquela posição, mas, conquistei outra... Foi so rir.

soledade disse...

O Alhambra, falei dele porque tinha acabado de o jogar e vi que dava para 6 jogadores, nunca experimentei com tantos. Talvez não seja o nº indicado.

O Power Grid é muito bom, às vezes. Tanto dá um 8 como um 80. É esquisito.

Zorg, apesar de tudo, o Age of Steam dá mais trabalho que o P. Grid. É muito mais macho. Aquele sim é mesmo um emprego.

O Roborally achei um bocado secante também em termos de tempo. Pode ser divertido, tal como o Formula dé mas muito longo.

O Shadows é um jogo controverso. Muitas pessoas gostam dele e 6 ou 7 são as melhores configurações. Mas eu achei-o uma seca pegada e não devo tornar a jogar. Oh jogo chatinho! Consegues estar 5 turnos à espera da tua vez de jogar para fazeres 5 coisas iguais.

zorg disse...

Já não jogo diplomacy há muito tempo, mas um jogo em 4 horas parece-me que necessita de muita disciplina.

No último jogo que fizemos, lembro-me que começámos por volta das 22h e, quando decidimos parar de jogar (ainda antes de termos acabado) já era perto do meio dia do dia seguinte.

Acho o diplomacy um jogo giro, mas que demora muito mais tempo do que aquele que eu tenho disponível para jogar hoje em dia.

Anónimo disse...

Is Yeti Real?
http://www.is-bigfoot-real.com/