23 outubro 2006

Essen report #3

Space Dealer

Este e Imperial constituem as novidades da Eggerspiele para Essen. No entanto, este é um jogo a seguir com particular atenção, já que esteve a ser desenvolvido durante 4 anos e apresenta uma série de inovações interessantíssimas, que combinadas com o excelente buzz que tem recebido, fazem-no merecer um post dedicado.

A ideia deste jogo é simples: cada jogador é um mercador espacial e começa no seu planeta, com uma nave, 1 fonte de energia básica e 1 carta de tecnologia que produz um tipo de bem. Também começa com mais cartas na mão que podem ser ligadas à fonte de energia para produzir mais bens ou para conceder ao jogador poderes especiais. Os bens produzidos podem ser transportados na nave para satisfazer encomendas dos outros jogadores, noutros planetas. Ao satisfazer estas encomendas, o jogador recebe pontos. Até aqui, isto parece tão inovador como as sandálias de um monge franciscano. A inovação vem agora: cada jogador possui 2 ampulhetas e para produzir o que quer que seja, tem de colocar uma das ampulhetas na carta e só quando o tempo se esgota é que recebe o bem, ou o poder especial. Todos os jogadores jogam em simultâneo e não há conceito de ronda. Ou seja, de todas as acções que se quer fazer, só se pode fazer duas de cada vez, porque só há 2 ampulhetas por jogador. Para além disso, como o jogo é complexo, é muito mais importante seleccionar bem as acções que se quer fazer e ter uma estratégia pensada, do que propriamente mexer depressa nas ampulhetas. O jogo dura exactamente meia hora e o tempo até pode ser controlado através da audição de um CD, incluído na embalagem.

Isto é, de facto, muito inovador mas ao mesmo tempo parece-me bastante interessante. Para além disso, as reacções iniciais de quem tem experimentado o jogo têm sido entusiásticas, o que ainda desperta mais a curiosidade. Por muito bom que seja o Imperial - e parece que é bastante bom - este Space Dealer é, provavelmente, o jogo mais desconcertante da feira e um sério candidato a best of show.

7 comentários:

Costa disse...

SPACE DEALER parece de facto um jogo muito inovador e interessante. Questiono-me se não será um jogo demasiado caótico/anárquico.

Mas adiante, a pool final da feira revelou os seguintes jogos como os mais e melhor votados da edição deste ano de Essen:
1 - YSPANHAN
2 - DIE SAULEN DER ERDE
3 - MAESTRO LEONARDO
4 - TARA, SEAT OF KINGS
5 - SANTY ANNO
6 - SPACE DEALER
7 - MR. JACK
8 - HERMAGOR
9 - ON THE UNDERGROUND
10 - HASTE BOCK?
11 - UR
12 - TALUVA
13 - KHRONOS
14 - DIE BAUMEISTER VON ARKADIA

Entretanto publicarei no meu blog um post mais detalhado sobre estes 14 jogos.

Há aqui ausências importantes e que demonstram que a Feira foi rica em surpresas. Jogos como IMPERIAL, SHOGUN, GLORIA MUNDI ou mesmo ANASAZI esperariam decerto mais destaque e atenção

http://oblogdocosta.blogspot.com

Hugo disse...

Vamos esperar pelo fim desta semana para ver o que os que lá estiveram dizem, especialmente desse Imperial e do novo Wallace.

zorg disse...

O Wallace parece que anda em baixo de forma.

O Tempus tem sido, no mínimo, controverso e há muita gente muito desiludida e este Perikles passou muito despercebido. Tinha algumas expectativas (até porque adoro o seu ultimo jogo pré-Tempus, o excelente Byzantium), mas para já fica sob observação.

soledade disse...

O Space Dealer, que tive oportunidade de ver, achei muito bonito mas muito pouco interessante. A bonecada é gira mas falta-lhe estofo.

Pillars of the earth é language dependent e portanto, vamos ter de, ou aguardar por uma edição inglesa, ou aprender alemão. É só escolher. Mas que o jogo parece fabuloso lá isso parece.

O Martin Wallace parece-me em boa forma, apesar de Tempus. Perikles dá ideia de ser um jogo muito bem conseguido e, aparentemente, vai ser um sucesso (dentro dos sucessos que uma editora tamanho warfrog pode esperar).

O melhor do ano, para mim, aposto em Maestro Leonardo.

On the underground não gostei dos componentes. Achei-os muito manhosos. Foi a grande aposta da JKLM e acho que se vão safar bem. Mas não é o meu estilo. Se é para fazer carreirinhos tem de ser, pelo menos, um jogo bonito. Tipo Zug Zug.

O Rudiger Dorn também passo. Depois da "seca" que é Goa e da trapalhada de Louis XIV preciso espairecer do homem.

De notar os títulos dos checos. Graenaland, que vem muito recomendado pelo fabuloso blog "jogos de tabuleiro" e que, ao que parece, tem mais procura que oferta. Mas o meu destaque vai para Through the Ages. Aguardem que este joguito de 3 ou 4 horas de civilização vai dar que falar. Parece muito, mas muito, bom. E os componentes são fantásticos.

Sobra espaço para falar de Khronos. Também recomendado pelo já citado blog "jogos de tabuleiro" esgotou ao terceiro dia. Das duas uma. Ou os mocinhos franceses, que não estão habituados ao sucesso, levaram três cópias para Essen, ou então, devido ao buzz, não chegou para as encomendas. Eu acho que é mais esta.

Abraço
Paulo

hmocc disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
hmocc disse...

Muito interessantes todos os vossos comentários.

Certamente irei comprar alguns destes jogos e para já os que mais me interessam são o Maestro Leonardo, o Mr. Jack e talvez o Imperial - estes 3 seria capaz de comprar apenas baseado nas reviews de quem os viu e jogou.

Outros, como este Space Dealer, que até me parece bastante interessante pelo conceito de acção simultânea, ou o Khronos (acções paralelas) terão de ser jogados antes de serem comprados.

O que eu gostava de ver eram reviews aos jogos com menos espalhafato mediatico mas com o mesmo ou mais sucesso, como o Taluva ou, Tara - Seat of Kings

zorg disse...

O Taluva parece que tem componentes fantásticos, mas os comentários do pessoal que lá esteve (e que eu encontrei na net) não são consensuais. O Tara: seat of kings interessa-me bastante. Não tem componentes excepcionalmente bons, não era um dos "favoritos" e, no entanto, foi um dos preferidos da feira. É outro jogo a seguir com muita atenção.

O Through the Ages também parece fixe, quanto mais não seja pelo tema. Jogo de civilização jogável em 3 horas? Contem comigo! Seja como for, quer esse, quer o Graenaland, quer o Legie só estavam disponíveis para pre-order para serem levantados em Essen. Eu entrei em contacto com os tipos da Czech Board Games a perguntar se depois iam comercializar os jogos pelos canais normais e eles disseram-me que talvez houvesse notícias sobre esse assunto a seguir a Essen terminar. Por isso aguardo...